Mulher do “Homem de Lagoa Santa” também terá um rosto em 3D

0
201
Foto Divulgação

Ano passado a notícia da reconstituição do rosto do “Homem de Lagoa Santa” ganhou o mundo. A matéria sobre este assunto foi publicada em 16 línguas e amplamente divulgada nos veículos de comunicação locais. Agora em 2018, mais uma vez, o designer brasileiro Cícero Moraes (35), responsável pelo trabalho anterior, vai recriar o rosto em 3D da “esposa” do Diarum.

 

O crânio de 10 mil anos foi descoberto na década de 70 e estava na mesma cova de seu provável companheiro. De acordo com Erika Suzanna Bányai, curadora e diretora do Museu Arqueológico de Lagoa Santa – também conhecido como “Museu da Lapinha” – o casal era chefe de um bando e a esposa de Diarum, recebeu o nome de Aci que significa “mãe matriarca” na língua indígena. O trabalho inicial de fotografar o crânio dentro das técnicas necessárias para a computação gráfica foi de Erika. “Ainda não sei dizer se faremos o busto, mas o trabalho digital está em execução”, conta.

Cícero explicou que primeiro vai digitalizar as fotos do crânio (processo de fotogrametria). Quando as imagens já estiverem no computador, ele inicia a modelagem (reconstrução dos músculos faciais) e a colocação de pinos. “Estes pinos servem para mostrar os níveis de preenchimento entre a pele e o osso”, explicou Moraes.

Segundo a análise de Marcos Paulo Salles Machado, perito legista do IML do Rio de Janeiro, o crânio avaliado pertence a uma mulher com idade entre 20 e 40 anos, e graças a bibliografia e estudo realizado pela equipe, é possível ter uma ideia mais clara sobre o “homem de Lagoa Santa”. Eles chegaram à conclusão de que os traços são de miscigenação entre os povos asiáticos e africanos. “O interessante do projeto é que vamos dar um rosto, uma identidade, ao grupo como um todo. Quando vários “artistas” trabalham juntos existe uma coerência no trabalho.”, pondera Cícero.

Foto Divulgação: Museu da Lapinha

Ano passado o custeio do projeto foi realizado pelo Museu da Lapinha, detentor dos crânios localizados em Lagoa Santa, e acompanhado pessoalmente por Cícero. Este ano ele ainda não tem certeza se virá para a apresentação programada para inicio de abril. “No ano passado já estava tudo certo e organizado. Este ano acompanharei a apresentação à distância.”, conta.