Não julgue: Olhe primeiro para seu espelho interior

0
50
CRÉDITOS: SHUTTERSTOCK

Todo cidadão carrega consigo uma mania quase que inevitável de falar mal dos outros e julgar antes de ouvir. Seja sobre celebridades, catástrofes ou mesmo do vizinho que mora ao lado. Falam como se conhecessem os problemas dos outros, suas dores e batalhas, mas se esquecem de algo muito sério. Se você acha que têm motivos para falar dos outros, lembre-se que os outros também arrumarão motivos para falar de você!

Repare que quase 100% do que as pessoas comentam sobre a vida dos outros, está relacionado a situações negativas e raramente positivas. O problema é que algumas “fofocas” ou “palavras ao vento” podem denegrir a imagem ou no mínimo deixar o outro em um ponto desconfortável. Para entender isso, basta se colocar no lugar do outro não é mesmo? Somente desta forma fica fácil perceber que não é nada confortável ver desconhecidos falando mal de nós.

Quando atingimos alguém por raiva, ou mesmo por alguma inquietação como a inveja, deixamos claro que não somos melhores do que as outras pessoas, na verdade somos iguais ou até piores. Isso porque ao invés de aprendermos algo com as atitudes dos outros (sejam elas positivas ou negativas), acabamos atraindo para nós mesmos “uma cegueira sem fim” e atacamos os outros sem pensar nas devidas e possíveis consequências.

O mundo é feito por e para as pessoas. Mas em alguns momentos, parece que toda a sociedade se esquece disso. Por esse motivo, muitos acabam saindo por aí destilando ódio e muita tristeza. Vivemos sim em uma sociedade “competitiva”, onde devemos matar (como já diz o ditado) um leão por dia para sobreviver. E não tenha dúvidas disso! No entanto, vejo cada vez mais que ao invés de somar forças para enfrentar as adversidades da vida, as pessoas estão cada vez mais egoístas e menos afetivas.

Uma dica importante é não julgar – Se algo não deu certo em sua vida, não ataque quem está no caminho certo buscando vitórias. Veja onde você está errando e o que pode fazer para acertar daqui para frente. Em hipótese alguma “julgue” o outro pela aparência, pela atitude e principalmente pela situação financeira. Não despreze ninguém, nem um desconhecido ou mesmo conhecido, pois cada pessoa têm seu valor interior, com defeitos, mas acima de tudo, qualidades.

Faça uma análise

Quando for falar de alguém, seja para um amigo, ou mesmo publicamente através das Redes Sociais, faça antes uma análise pessoal e íntima de suas atitudes para ver se de fato você é ou está melhor do que o outro. Não julgue: Olhe primeiro para seu espelho interior. Somos iguais aos outros, mas sem querer podemos nos tornar seres piores. Pense nisso e tenha sempre no outro a esperança de se tornar uma pessoa melhor.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorUm dos narcotraficantes mais perigosos do estado é preso pela Polícia Civil
Próximo artigoBacalhau e o seu famoso bolinho
Felipe de Jesus
Felipe de Jesus é mestre em comunicação social: jornalismo, sociólogo, jornalista, bacharel em teologia e bacharelando em direito. Como jornalista atuou em diversas editorias e como sociólogo prestou consultoria para uma ONG desempenhando o trabalho de pesquisas de campo: opinião pública: social e comportamento. Faz parte da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) e do Sindicato dos Sociólogos de Minas Gerais (SINDS) como afiliado.