Serra da Canastra: cachoeira Casca D’anta, nascente do Velho Chico e Curral de pedras em um dia

0
29

Olá amigos e amigas viajantes! Primeiramente, um ótimo 2018 a todos! Que este novo ciclo nos traga novas e boas oportunidades e que tenhamos saúde para embarcar nessa viagem! Tirei alguns dias para descanso, encontro com família e outras pessoas queridas nos últimos dias de 2017, meio ao trabalho que não para, e entre uma visita aqui outra ali, em pleno dia 25 de dezembro, tirei o dia para voltar à Serra da Canastra, desta vez em uma breve e rica trip com meu primo e grande músico e amigo Renan Karacol.

Saímos de Formiga (200 km de BH), minha terra natal , onde fazemos os encontros das famílias (paterna e materna) por volta das sete da manhã, para um trajeto de aproximadamente 140km. Às 9h30 estávamos em São Roque de Minas. Após tomar um café reforçado, seguimos rumo à entrada do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde se localiza a Cachoeira Casca D’Anta – uma das maiores do Brasil, sendo que uns afirmam ter 186 metros e outros 200 metros, a nascente do Rio São Francisco e o Curral de Pedras, entre outras atrações.

O ideal para se conhecer a Serra da Canastra e suas incontáveis maravilhas é se hospedar na região por pelo menos cinco dias. Assim poderá conhecer belezas naturais e culturais como os antigos produtores do queijo Canastra, considerado um dos melhores do mundo! Já tive a oportunidade de me hospedar por tempo semelhante, em 2013, e a experiência foi incrível. Um lugar maravilhoso onde de poucos em poucos metros, uma beleza te atrai. Um passeio surpreendente!

Como o tempo era curto, desta vez fizemos um passeio rápido visitando os três principais pontos mais próximos da Portaria um do Parque, para quem chega por São Roque de Minas. A entrada no parque é cobrada uma taxa de R$10. O parque é aberto para entrada até às 16h, sendo o horário de saída às 18h.  Fizemos o sentido inverso, fomos à cachoeira, localizada à 26,4 km da portaria, e depois voltamos parando pelo Curral de Pedras e, em seguida, na nascente Histórica do Rio São Francisco.

Fotos: Junior Leal – Carcará

No caminho fomos agraciados com a espera à beira da estrada, em um farto cupim, um esbelto Carcará como um sentinela de seu sagrado habitat.

Uma atração indispensável para quem quer conhecer o parque é visitar a cachoeira Casca D’Anta pela parte baixa, vendo toda a queda por baixo e aproveitar para se refrescar nas águas limpas do Velho Chico. O acesso é feito pela Portaria quatro do parque, chegando por São José do Barreiro.

A Serra da Canastra é, com certeza, um dos lugares mais ricos natural e culturalmente que tive o prazer de visitar. Esta viagem rápida em pleno natal certamente me alimentou de ótimas energias para entrar em 2018 com as forças renovadas – inclusive para voltar na região em breve em uma trip da melhor forma possível: sem pressa para se despedir. Caso tenha interesse em conhecer de perto esta maravilha, entre em contato e mostraremos a melhor forma de programar sua viagem de acordo com o seu perfil e o que você espera do lugar!

CURIOSIDADE: O nome Casca d’Anta, segundo moradores mais antigos da região, remete ao costume das antas, quando andavam em bandos por ali, utilizavam-se das propriedades medicinais da árvore casca-d’anta, árvore essa predominante em uma mata próximo à cachoeira.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorIngrediente em destaque | Você sabe tudo sobre o Ovo?
Próximo artigoNove óbitos por causa da Febre Amarela em Minas Gerais
Júnior Leal
Sou natural de Formiga, no interior de Minas Gerais, mas sempre morei em Lagoa Santa, na região metropolitana de Belo Horizonte. Além do turismo, sempre fui apaixonado por música, literatura, futebol, prosa boa e roda de amigos e, principalmente, conhecer novas pessoas e lugares – e suas histórias. Sou sócio-proprietário da Geraes Viagens Lagoa Santa e estou sempre aberto a novas ideias, sugestões e críticas! Para falar comigo, envie um e-mail para junior@geraesviagens.com.br ou ligue 3681-4931