Tendências | O que esperar da gastronômicas em 2018

0
55
Foto Divulgação

Restaurantes focados em um único ingrediente, alimentação saudável, culinária asiática e tecnologia na cozinha são algumas das tendências esperadas para a gastronomia em 2018. Relatório divulgado pela empresa americana de consultoria de alimentos Baum + Whiteman revela que estamos cada dia mais preocupados com nossa alimentação.

A boa nova será a Plant-based Diet uma dieta com base em alimentos em sua forma natural, vegetais e frutas não refinados e minimamente processados. Seguindo a tendência de 2017 – em que o vegetarianismo e veganismo iam ganhar mais adeptos, os seguidores da nova dieta reforça essa tendência e o consumo de alimentos não derivados de animais. Ela será composta por vegetais, leguminosas e frutas in natura e preferencialmente orgânicos. Dados do relatório aponta a redução do consumo de carne e o aumento de buscas por produtos veganos no Google como importantes indicadores.

A cozinha que estará na moda será inspirada em culinárias como a das Filipinas (destacando a cultura de imigrantes – que produzem pratos perfumados e picantes), da Indiana em uma versão mais casual – dando destaque para a cozinha de rua que vai além do famoso Curry e da Coreana. A culinária birmanesa, e sua mistura de sabores chineses, laosianos, indianos e tailandeses, tem o poder de atrair uma variedade de paladares. Prevejo que essa cozinha estará empurrando 2018 para frente.

Pratos como ou lámen seguem firmes trazendo uma pegada para pratos quase sem caldo conhecidos como Mazemen (massa com toppings secos que podem conter ovos, bacon, ricota, salmão curado e até tahini.

O abacate continua firme e forte nos menus e ganhará um companheiro forte o tal do Jianbing (crepe servido com molho hoisin e chili rico em umami. Ele virá acompanhado de ovos, vegetais em conserva em vinagre e ervas, salsinha e bacon.

Os cafés que tiveram seu grande momento em 2017 e permanece em destaque com um toque especial, além dos tradicionais cafés, o uso de ervas e especiarias no preparo da bebida estará em alta. Cafés no estilo chai em camadas com sabores de canela, laranja e cravo vão conquistar os paladares em 2018. As infusões também estarão em altas – o movimento de preparar sua própria infusão vai conquistar e render aromas e sabores incríveis.

Fermentação lenta para a produção de pães e pizzas é uma das tendências que se iniciaram em meados de 2017 e vai seguir em 2018 com tudo – afinal, quem resiste um bom pãozinho artesanal fresco?  Restaurantes especializados em um único produto também será tendência. Espaços especializados em queijos, bacon e carnes únicas com menu degustação de nove pratos e até de um só será a febre do momento.

Tecnologia para os serviços de delivery terá destaque para favorecer o crescimento da cadeia de entregas. O relatório aponta para o aumento de restaurantes que não aceitam mais dinheiro, mas apenas pagamentos via aplicativos, com smartphones fazendo desde o pedido do prato, através do escaneamento do código de barra no cardápio, até o pagamento. A negociação através do reconhecimento facial também ganha espaço. A rede KFC tem uma loja na China, onde os clientes já realizam os pedidos utilizando a ferramenta. Exemplo de aplicação destas tecnologias é a Cervejaria Sátira que instalou em sua growler station cartões recarregáveis para o autoatendimento e aceita criptomoedas como pagamento.

Restaurantes temporários com início e fim definidos para atender demandas específicas ou para testes de conceitos também estarão em alta. Alguns mais intimistas que visam o bem-estar e a experiência dos clientes estarão super em alta.

Resumidamente, a gastronomia segue em expansão atendendo as demandas de consumo mais consciente, buscando a valorização do que colocamos no prato e o respeito pelas culturas alimentares. Nos últimos anos, os processos que envolvem a gastronomia ficaram mais maduro, o mercado não aceita mais aventuras sem técnica, conhecimento e conceito. Toda cadeia está investindo mais e melhor na comunicação, um salão vazio não é sinal de comida ruim. A gastronomia está ganhando cada vez mais espaço, estaremos de olho e torcendo pelas boas novas.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPopulação se revolta com a poda de uma árvore sexagenária
Próximo artigoMototaxistas permanecem com o mesmo preço de 2017
Ana Sandim
Jornalista, gastrônoma e mestra cervejeira por formação. Editora do blog "Ingrediente da Vez", que compartilha e difunde a gastronomia em sua essência prezando pelo slogan: "Aqueles que cozinham rindo e bebendo são os mais felizes". Instagram: @ingredientedavez|Facebook: @ingredientedavez | Site: ingredientedavez.com.br.